Conheça a Zona Norte do Rio de Janeiro: saiba o que fazer no subúrbio carioca.

Você sabe que o Rio de Janeiro é muito mais do que sua bela orla. Mas você sabe o que fazer na cidade longe das praias?

 

O Rio de Janeiro é uma cidade internacionalmente famosa, conhecida principalmente pelos seus pontos turísticos que viraram cartões postais, belas praias, carnaval e futebol.

Mas esse Rio de Janeiro tão famoso e visitado por turistas, costuma se limitar à Zona Sul da cidade.

Neste artigo, seguindo a nossa série sobre o Rio de Janeiro, vamos falar sobre a Zona Norte da cidade, o nosso famoso e querido subúrbio carioca.

Se as praias ficaram quase todas na Zona Sul e Zona Oeste – embora, é claro, exista a Praia de Ramos e as praias da Ilha do Governador – a Zona Norte ficou com os três principais estádios de futebol e a maioria esmagadora das quadras de escola de samba.

Então vem comigo fazer um tour pelo lado da cidade que te oferece com gosto e em excesso, muito samba e futebol.

Aqui você vai encontrar:

  • Como chegar na Zona Norte do Rio de Janeiro
  • Quanto tempo ficar para conhecer a Zona Norte do Rio de Janeiro
  • O que fazer na Zona Norte do Rio de Janeiro

COMO CHEGAR

Existem dois aeroportos na cidade do Rio de Janeiro. Um na área central, que opera principalmente voos nacionais, o Santos Dumont. E o outro, maior, que fica localizado na Ilha do Governador, Zona Norte do Rio, conhecido como Galeão, mas batizado de Aeroporto Internacional Tom Jobim.

Ambos possuem uma grande quantidade de voos diários e contam com uma boa estrutura. Diferem mais pela localização e pela oferta de transportes oferecidos para cada um. O Santos Dumont, por ficar numa região mais central, conta com mais opções de transporte.

Na hora de escolher o aeroporto, considere preços e localização e veja o que pesa mais para você na hora da escolha. Chegar no rio pelo Galeão costuma ser mais barato, no entanto, oferece menos opções de transporte público.

Saindo do Santos Dumont

Para sair do Aeroporto Santos Dumont, você conta com o transporte público, ônibus executivos, táxi e Uber. 

– Táxi: na saída do aeroporto você encontra  cooperativas que utilizam corridas de valores tabelados. Há também a opção de pegar táxis comuns, com taxímetro. 

– Uber: Se preferir utilizar o uber, atente-se ao ponto específico para embarque, que fica no shopping Bossa Nova Mall. 

– Caso opte pelo transporte público, pegue o VLT na estação do Aeroporto e ele o levará ao metrô. A estação de metrô mais próxima ao aeroporto é a da Cinelândia e, com acesso ao metrô, ficará mais fácil chegar na Zona Norte da cidade. É só embarcar na linha 2, sentido Pavuna, ou na linha 1 sentido Uruguai.  Atenção: para usar o VLT, você deve adquirir o Rio Card, um cartão recarregável que serve para todo o transporte público do Rio. O ideal é carregá-lo com um valor suficiente para realizar todos os trajetos que pretende fazer enquanto estiver na cidade. 

Transfer: Outra opção é contratar o serviço de Transfer. Carros privativos ou não, que te buscam no aeroporto e te levam até alguns pontos da Zona Norte da Cidade, como Maracanã, Tijuca e Vila Isabel. Caso opte por esta opção, fale conosco que podemos te ajudar! 

Saindo do Galeão

– Transporte público/BRT: a linha TransCarioca Expressa liga o aeroporto à Barra da Tijuca e para na estação Vicente de Carvalho, na Zona Norte do Rio. Lá pode ser feita baldeação no BRT para outros bairros na Zona Norte, como também a integração com o metrô ou mesmo ir de ônibus. Pelo metrô você consegue chegar em diversos pontos da Zona Norte. Na estação do aeroporto, você encontra uma máquina de autoatendimento para comprar o ingresso. 

– Táxi: no Galeão existem dois tipos de táxi, o comum e um táxi especial, com veículos mais caros. Os dois funcionam com preços tabelados, mas o táxi especial tem corridas de valor mais alto. 

– Uber: Se você escolher essa opção, o aplicativo costuma direcionar os passageiros para a área de embarque do aeroporto. 

– Transfer:  Outra opção é contratar o serviço de Transfer. Carros privativos ou não, que te buscam no aeroporto e te levam até alguns pontos da Zona Norte da cidade. Caso opte por esta opção, fale conosco que podemos te ajudar! (CTA)

Carro

Vindo de Belo Horizonte: o trajeto possui cerca de 430km, em sua maioria percorridos na BR-040. Você passará pela parte serrana do Rio, bem cercado de mata. 

Vindo de São Paulo: são cerca de 400 km pela Via Dutra. É o meio mais rápido de se chegar ao Rio, apesar de ter quatro pedágios nesse caminho. Se você vier pelo litoral norte de São Paulo, o acesso se dá pela Rio-Santos. 

Vindo do Espírito Santo ou de outros estados ao sul do Rio: o principal acesso é pela Rodovia BR-101.

Ônibus

A Rodoviária Novo Rio, que fica próxima ao Centro da cidade, tem saídas e chegadas diárias das principais viações brasileiras, como 1001, Itapemirim e São Geraldo. Lá, você pode pegar o VLT e descer próximo à alguma estação de metrô do centro, onde você embarca sentido Zona Norte. Mas na saída da rodoviária você também consegue pegar táxi ou uber.

QUANTO TEMPO FICAR

O Rio de Janeiro é uma cidade repleta de coisas para fazer, e o ideal é que dedique boa parte de suas férias para conhecer toda a cidade. Mas se o tempo for corrido, e você resolver conhecer principalmente os atrativos da Zona Norte, acredito que em 4 dias você consegue desbravar os principais pontos turísticas.

O QUE FAZER

Estádio Jornalista Mário Filho – Maracanã

maracana
(Estádio Maracanã | Foto: Reprodução Google)

Para os amantes de futebol, o nosso queridinho, o famoso Maraca! Palco de duas Copas do Mundo e dos Jogos Olímpicos 2016, principal estádio do país, foi por muitos anos o maior estádio do mundo, com capacidade para 200 mil torcedores. Hoje, por medidas de segurança – e para a saudade eterna dos geraldinos (o torcedor que acompanhava os jogos da extinta geral) – o estádio teve sua capacidade reduzida para algo em torno de 78 mil. 

Lá, você encontra também o Museu de Esportes Mané Garrincha, também conhecido como Museu do Futebol. O acervo do Museu do Futebol é composto em grande parte por artigos que lembram a seleção brasileira e os 40 principais clubes brasileiros através de bandeiras, flâmulas oficiais e farto material fotográfico. (Atenção: se você vier durante a pandemia, verifique o funcionamento do Museu antes, no site *inserir site*)

Para os fãs de futebol, esse com certeza é o principal ponto turístico e roteiro indispensável para ser feito na Zona Norte do Rio. Para quem não é tão fã assim de futebol, o passeio também vale super a pena, além do Maracanã ser um estádio lindo, ele foi palco de diversos momentos importantes e é parte indispensável da história do país.

Para chegar ao Maracanã, há diversas opções de ônibus, além do metrô e do trem, com estações que te deixam na frente do estádio.

São Januário

fachada são januário
(Fachada do Estádio São Januário | Foto: Reprodução Google)

Localizado no bairro Vasco da Gama – homônimo do Club dono do Estádio, o Club de Regatas Vasco da Gama, São Januário foi o primeiro grande estádio de clube carioca construído na Zona Norte do Rio. Sua fachada é tombada e ele foi palco de diversos momentos importantes da história do país.

Começando pela sua construção, que foi subsidiada e feita pela torcida vascaína – sim, o estádio foi literalmente construído pelos torcedores do clube – e só isso já basta para despertar a curiosidade dos visitantes.

Palco de diversos discursos políticos, lá foi feito o anúncio dos direitos trabalhistas, por exemplo. 

Além disso, a arquitetura do estádio é conservada por fora, já que sua fachada é tombada, e ainda apresenta a aparência datada da década de 20, quando foi fundado em 1928.

Lá também há um museu que conta a história do clube, e para quem se interessa por futebol, vale a visita.

O Estádio fica cercado por comunidades, então é mais seguro que sua visita seja feita durante o dia.

Ao contrário do Maracanã, o acesso ao Estádio é um pouco mais difícil, se dando somente por ônibus, carro ou aplicativos.

Quinta da Boa Vista 

Um dos locais que certamente vale muito a pena visitar é a Quinta da Boa Vista. Um parque lindo e ótimo para passar seu dia ao ar livre, localizado em São Cristóvão – bem em frente a estação de trem e metrô – Zona Norte do Rio de Janeiro.

quinta da boa vista
(Quinta da Boa Vista | Foto: Reprodução Google)

A Quinta da Boa Vista é marcada pela história. Foi ela quem protegeu a família real desde sua chegada até a proclamação da república. 

Seu nome se refere a casa em cima de uma colina que possibilita uma vista incrível do lugar, mais precisamente da Baía de Guanabara.

Com aproximadamente 155 mil metros quadrados, a Quinta da Boa Vista conta com diversas atrações. Certamente, vale a pena incluir esse ponto no seu roteiro e dedicar algumas boas horas do seu dia conhecendo esse encanto de lugar.

Por lá, você encontra:

Aberto de terça a domingo, das 9h às 16h30min. Os valores variam por faixa etária e outros fatores. Por exemplo, as crianças com até um metro de altura e deficientes físicos não pagam. As demais pessoas pagam em torno de R$ 6,00 reais para visitação.

  • Pagode Chinês

Um dos principais pontos da Quinta da Boa Vista é o Pagode Chinês, projeto do arquiteto e paisagista Paulo Villon e construído em 1910. 

O prefeito da época, Serzedelo Correa, decidiu revitalizar o parque e um dos objetivos era homenagear a influência chinesa que é tão forte na cidade, daí surgiu a ideia da construção do Pagode Chinês.

  • Templo de Apolo

Há um lago no parque e bem no meio dele encontra-se uma pequena ilha, que pode ser acessada por uma ponte. É nessa ilha que encontra-se o Templo de Apolo. É um templo muito bonito  vale a pena conferir se você estiver passando um dia na Quinta.

  • Monumentos

Um dos pontos que marcam a história da Quinta da Boa Vista é a estátua de D. Pedro II, localizada bem em frente as ruínas do Museu Nacional. Essa estátua foi criada por Jean Magrou e foi projetada pelo arquiteto Heitor da Silva Costa.

Próximo desse local, também há estátuas representando outros continentes, como: a África, a América, a Ásia e a Europa. Há também a estátua da imperatriz Leopoldina, que faleceu no Palácio de São Cristóvão.

Quadra da Portela

Não há como vir à Zona Norte do Rio de Janeiro e não passar por Madureira. Berço do samba e terra de duas das mais tradicionais Escolas de Samba do estado, o bairro, tema de muitas músicas,  é um dos mais famosos da Zona Norte do Rio.

portela
(Quadra da Portela | Foto: Reprodução Google)

Quem gosta de carnaval certamente já ouviu falar da Portela – maior campeã do Carnaval Carioca -, sua quadra fica localizada em Madureira e está sempre recebendo eventos de samba, feijoadas e shows.

Todo primeiro sábado do mês rola a feijoada da Portela e eu não só recomendo, como insisto, que você vá conhecer. Tradição, cerveja gelada e a verdadeira alma boêmia carioca. 

Não tem como sair de lá sem se apaixonar pela Velha Guarda e pelo Rio de Janeiro.

quadra da portela
(Evento em Quadra da Portela | Foto: Reprodução Google)

Viaduto de Madureira

Já que estamos falando de Madureira, o que não falta por lá são opções de lazer e pontos da cidade que você precisa conhecer. O mais famoso baile charme da cidade fica bem no coração da Zona Norte do Rio.

Embaixo do Viaduto Negrão de Lima, os bailes charmes ocorrem aos sábados, a entrada custa em torno de 10 reais e a consumação no local é bem acessível.

viaduto de madureira
(Baile Charme no Viaduto de Madureira | Foto: Reprodução Google)

Durante o baile sempre ocorrem os passinhos e as coreografias e tem espaço para todo mundo se arriscar, até quem não sabe dançar.

O clima é bem tranquilo, as músicas são ótimas e é sem dúvidas um dos lugares indispensáveis em um roteiro pela Zona Norte do Rio de Janeiro.

Floresta da Tijuca

floresta-da-tijuca-rio-de-janeiro
(Floresta da Tijuca | Foto: Reprodução Google)

Existe uma floresta tropical inteira dentro da cidade do Rio de Janeiro com atrações naturais e históricas. A Floresta da Tijuca é a maior floresta urbana do mundo. Localizada no bairro de mesmo nome – a Tijuca – ela é um dos principais atrativos da Zona Norte do Rio de Janeiro.

Um respiro verde no meio de uma selva de pedras urbana. Com diversas opções de trilhas e cachoeiras, a floresta conta também com mirantes, lagos, sítios históricos e espaços para realizações de reuniões e comemorações, reunindo diversas opções de lazer.

Como se tudo isso já não fosse o suficiente para você querer conhecê-la, o Parque Nacional da Floresta da Tijuca tem uma grande história: suas florestas, por exemplo, são resultado do primeiro grande projeto de reflorestamento no Mundo, iniciado em 1861.

Acho que não preciso falar mais nada, né? Só inclua a Floresta no seu roteiro urgentemente!

CADEG

CADEG é o mercado municipal do Rio de Janeiro. Fica localizado em Benfica, outro bairro da Zona Norte do Rio de Janeiro e conta com grande variedade de serviços e produtos para atender a todos os gostos.

cadeg-2
(CADEG | Foto: Reprodução Google)

Por lá você encontra grande diversidade de bares, restaurantes e floriculturas, além de muitas lojas e estabelecimentos de serviços variados.

Se você quiser comprar especiarias locais – ou não – tomar uma cervejinha gelada sempre acompanhada de um delicioso aperitivo, não tem lugar mais carioca para você fazer isso do que a CADEG.

Bar da Gema / Bar do Momo / Buxixo

A Tijuca, bairro já citado anteriormente, é um dos bairros mais tradicionais da cidade – único que tem nome próprio para os seus moradores: os tijucanos. Pela sua proximidade geográfica com centro e Zona Sul, há uma brincadeira entre os cariocas, que a apelidaram de “a Zona Sul da Zona Norte”.

No bairro, existe uma imensa opções de bares, que atendem a todos os estilos. Espalhados por toda a Tijuca, em cada esquina você tropeça em um botequim, de onde já saíram grandes nomes da música brasileira como por exemplo Roberto Carlos e Tim Maia.

Por aqui, vou citar alguns dos mais tradicionais.

O Bar da Gema fica localizado na Rua Barão de Mesquita, 615 e funciona de quinta à domingo. De 11 às 23 às sextas e sábados e de 11 às 16 as quintas e domingos.

bar da gema
(Bar da Gema | Foto: Reprodução Google)

O Bar do Momo fica localizado na  R. Gen. Espírito Santo Cardoso, 50 A – Loja A e funciona de quarta à sábado das 12 até as 21 horas.

bar do momo
(Bar do Momo | Foto: Reprodução Google)

O Buxixo fica localizado na  Av. Maracanã 760 e funciona todos os dias das 17 às 02 horas da manhã, exceto sábado e domingo, que o bar abre às 16 horas.

buxixo
(Buxixo | Foto: Reprodução Google)

Se você quer conhecer a boemia carioca, recomendo que vá a algum bar da região.

Cacique de Ramos

cacique de ramos (1)
(Cacique de Ramos | Foto: Reprodução Google)

O Cacique de Ramos é um dos mais conhecidos e tradicionais blocos de carnaval do Rio de Janeiro. Ele possui uma sede, que é uma quadra localizada na Zona Norte do Rio de Janeiro e sempre recebe eventos de samba, com destaque aos sábados de roda de samba e feijoada.

Foi no Cacique de Ramos que surgiu o tradicional grupo Fundo de Quintal, além de tantos outros nomes do samba. Curtir uma roda de samba no Cacique de Ramos –  é um dos passeios mais tradicionais do Rio de Janeiro e se você não for, não vai estar conhecendo o Rio direito.

Deu para perceber que por aqui a maioria dos nossos eventos envolve um bom samba, né?

Igreja da Penha

igreja da penha
(Igreja da Penha | Foto: Reprodução Google)

A Basílica Santuário de Nossa Senhora da Penha de França, popularmente conhecida como Igreja da Penha, é um tradicional santuário católico localizado no bairro da Penha, Zona Norte do Rio de Janeiro.

Famosa por ficar no alto dum morro e ser necessário subir 382 degraus para chegar até a Igreja, ao chegar lá você é presenteado com uma vista linda do Rio de Janeiro. É possível ver a Zona Norte inteira e o pôr do Sol dali é lindo demais.

Mesmo que você não seja religioso, vale a pena demais incluir essa parada no seu roteiro só para apreciar a vista e o pôr do sol.

Samba do Trabalhador

O Samba do Trabalhador é uma das rodas de samba mais tradicionais do Rio (e já voltou a funcionar no dia 19/10/2020 depois de ter fechado as portas devido a pandemia). O samba acontece no Clube Renascença, local bastante tradicional da música carioca localizado no Andaraí, Zona Norte do Rio de Janeiro. A roda acontece às segundas-feiras, tendo início às 16 horas. Então, se você for trabalhador, provavelmente você vai chegar atrasado no samba rsrs

samba-do-trabalhador-1
(Samba do Trabalhador | Foto: Reprodução Google)

Atualmente o preço está em torno de 200 reais uma mesa para 4 pessoas, ou seja, 50 reais.

 

Muito mais opções..

quadra da mangueira
(Quadra da Mangueira | Foto: Reprodução Google)

Além desses já citados, ainda há diversas outras opções de lazer pela Zona Norte do Rio de Janeiro. Vou enumerar alguns exemplos: o Centro de Tradições Nordestinas, em São Cristóvão, que com seus variados bares e videokês atrai um público muito diverso, desde famílias completas à grupos de jovens; o museu da Fiocruz em Manguinhos; o Polo Gastronômico de Vista Alegre, que é uma rua cheia de bares e hoje reúne centenas e milhares de pessoas da região; a Batata de Marechal com o lanche mais famoso do subúrbio carioca, a batata já ganhou até uma cópia na Zona Sul da cidade, mas a original envolve toda uma experiência gastronômica e a Quadra da Escola de Samba mais famosa do Rio de Janeiro: a Estação Primeira da Mangueira. Sem esquecer, é claro, da quadra do Salgueiro – outra famosa escola de samba – com a noite de ensaios mais visitada pelos turistas.

E aí? Gostou de conhecer um pouco mais sobre a Zona Norte do Rio? Já montou o seu roteiro? Vale a pena sair um pouco da orla e vir conhecer o resto da cidade, né? O Rio é uma cidade incrível e tem opções de lazer em qualquer parte.

Vai visitar a cidade? Deixa que a gente te leva

 

Quer receber mais conteúdos como esse gratuitamente?

Cadastre-se para receber os nossos conteúdos por e-mail.

Email registrado com sucesso
Opa! E-mail inválido, verifique se o e-mail está correto.

Fale o que você pensa

O seu endereço de e-mail não será publicado.